rodrigotown
Você é o melhor amigo do seu melhor amigo. Não, pera…

image

João amava Teresa que amava Raimundo
que amava Maria que amava Joaquim
que amava Lili que não amava ninguém.
João foi para o Estados Unidos,
Teresa para o convento,
Raimundo morreu de desastre,
Maria ficou para tia,
Joaquim suicidou-se
e Lili casou com J. Pinto Fernandes que não tinha entrado na história.

Quadrilha - Carlos Drummond de Andrade

17. 07. 14

03. 05. 14

'Que progressos, você me pergunta, já consegui? Comecei a ser amigo de mim mesmo.' Isto foi de fato um grande benefício… Esteja certo de que este homem é amigo de toda a humanidade.
Hecato, citado por Sêneca, em As consolações da filosofia, de Alain de Botton
Se tudo que você tem é um martelo… ou o lado “ruim” das coisas “boas”
image

image

image

Após assistir à animação Detona Ralph - ótima por sinal, recomendo! - fiquei pensando:

Até mesmo ‘Consertar tudo’ (fix it), que a princípio parece ser um comportamento adequado, bom, positivo, pode não ser interessante a depender da situação. Na mesma condição, saber como ‘Detonar tudo’ (wreck it) - comportamento rotulado geralmente de inadequado, ruim, negativo - pode ser mais adaptativo. Assim, não há comportamentos bons ou ruins em si mesmos. O que existem são comportamentos, que são funcionais ou não, dependendo do contexto em que são emitidos. Como sempre, tudo depende das contingências.

Além disso, um repertório comportamental variado é de suma importância para uma vida ‘plena’, já que como disse Abraham Maslow: “se a única ferramenta que você tem é um martelo, tudo começa a se parecer com um prego”.

* * *

"Se não temos repertório para lidar com os/alguns percalços da vida, estes se tornarão mais intensos do que naturalmente seriam. Assim, podemos então compreender o enunciado de Tatiana Lussari: “Sofre menos quem possui repertório mais variado, mais amplo”. Ora, se o repertório de comportamentos de uma pessoa for mais amplo, isto significará maior capacidade de lidar com as adversidades e, portanto, o impacto destas não terá uma intensidade tão grande sobre o sujeito, resultando em menor sofrimento. “A dificuldade não está apenas na vida, está também em nós que não temos repertório para lidar com as contingências inerentes a ela!”complementa o professor Hélio.

(…)

Talvez na área profissional, especializar-se pode ser algo vantajoso. No entanto, esta possibilidade não se enquadra ao campo comportamental. “Especialismos comportamentais” são arriscados. Costumo dizer no consultório que nossa vida precisa estar estabelecida e sustentada por muitos pilares/colunas, e que depositá-la somente em uma pode ser algo bastante perigoso, pois o primeiro abalo sísmico, por mais fraco que seja, será suficiente para nos levar a uma queda de alta intensidade.” 

Tiago Zortéa, no ótimo texto Notas sobre Repertório Comportamental

09. 04. 14

Nature doesn’t recognize good and evil. Nature only recognizes balance and imbalance.
Walter Bishop, in FRINGE
Levantando voo

O Guia do Mochileiro das Galáxias diz o seguinte a respeito de voar: 

Há toda uma arte, ele diz, ou melhor, um jeitinho para voar. O jeitinho consiste em aprender como se jogar no chão e errar. Encontre um belo dia, ele sugere, e experimente.

A primeira parte é fácil. Ela requer apenas a habilidade de se jogar para frente, com todo seu peso, e o desprendimento para não se preocupar com o fato de que vai doer. Ou melhor, vai doer se você deixar de errar o chão. Muitas pessoas deixam de errar o chão e, se estiverem praticando da forma correta, o mais provável é que vão deixar de errar com muita força. 

image

image

Um dos problemas é que você precisa errar o chão acidentalmente. Não adianta tentar errar o chão de forma deliberada, porque você não irá conseguir. É preciso que sua atenção seja subitamente desviada por outra coisa quando você está a meio caminho, de forma que você não pense mais a respeito de estar caindo, ou a respeito do chão, ou sobre o quanto isso tudo irá doer se você deixar de errar.

image

É reconhecidamente difícil remover sua atenção dessas três coisas durante a fração de segundo que você tem à sua disposição. O que explica porque muitas pessoas fracassam, bem como a eventual desilusão com esse esporte divertido e espetacular. Contudo, se você tiver a sorte de ficar completamente distraído no momento crucial (…), você irá errar o chão completamente e ficará flutuando a poucos centímetros dele, de uma forma que irá parecer ligeiramente tola.

Esse é o momento para uma sublime e delicada concentração. Não ouça nada que possam dizer nesses momentos porque dificilmente seria algo útil. Provavelmente dirão algo como: “Meu Deus, você não pode estar voando!” É de vital importância que você não acredite nisso: do contrário, subitamente estará certo. Flutue cada vez mais alto. Tente alguns mergulhos, bem devagar no início, depois deixe-se levar para cima das árvores, sempre respirando pausadamente.

NÃO ACENE PARA NINGUÉM.

Quando você já tiver repetido isso algumas vezes, perceberá que o momento da distração logo se torna cada vez mais fácil de atingir. Você pode, então, aprender diversas coisas sobre como controlar seu voo, sua velocidade, como manobrar, etc. O truque está sempre em não pensar muito a fundo naquilo que você quer fazer. Apenas deixe que aconteça, como se fosse algo perfeitamente natural.

Você também irá aprender como pousar suavemente, coisa com a qual, com quase toda certeza, você irá se atrapalhar - e se atrapalhar feio - em sua primeira tentativa. 

Douglas Adams, em O guia do mochileiro das galáxias.

02. 04. 14

"inefável"

"inefável"

“Be not afraid of life. Believe that life is worth living and your belief will help create the fact.”
"To change ones life: Start immediately. Do it flamboyantly." 
“The art of being wise is the art of knowing what to overlook.” 
William James (1842 - 1910), um dos fundadores da psicologia moderna e importante filósofo ligado ao Pragmatismo.
28. 03. 14

“Be not afraid of life. Believe that life is worth living and your belief will help create the fact.”

"To change ones life: Start immediately. Do it flamboyantly." 

“The art of being wise is the art of knowing what to overlook.” 

William James (1842 - 1910), um dos fundadores da psicologia moderna e importante filósofo ligado ao Pragmatismo.

28. 03. 14

27. 03. 14

27. 03. 14

Quando você é bem pequeno não precisa procurar muito longe pra achar o centro do universo: mamãe! - Kevin Arnold, Anos Incríveis

image

Dá-me um abraço, mãe, para que eu sinta que o mundo me quer bem. Encontra o meu olhar, para que eu pressinta a aprovação do que faço, do que sou. Canta para mim uma canção de ninar, para que eu adormeça sorrindo. E, se não for pedir demais, conta aquele conto de fadas para que torne a acreditar que o mundo é bom, e que tudo, afinal, se resolve. (Pedido - Miriam Carrilho)

image

16. 03. 14

Runaway - The National

"What makes you think I’m enjoying being led to the flood?
We’ve got another thing coming undone
And it’s taking us over
We don’t bleed when we don’t fight
Go ahead, go ahead, throw your arms in the air tonight
We don’t bleed when we don’t fight
Go ahead, go ahead, lose our shirts in the fire tonight”

15. 03. 14

A decisão de tornar-se escritor foi inspirada pela decepção com aqueles que o cercavam, e no entanto sua literatura estava impregnada da esperança de que alguém, em qualquer outra parte, iria entendê-lo; sua obra destinava-se a todos e a ninguém em particular. Ele estava consciente do paradoxo de revelar seus pensamentos mais íntimos aos estranhos que frequentavam as livrarias. (…) E todavia devemos ser gratos por este paradoxo. As livrarias são o mais precioso destino para os solitários, dado o número de livros que foram escritos porque seus autores não puderam encontrar ninguém com quem conversar.
Alain de Botton, sobre Michel de Montaigne, em “As Consolações da Filosofia”, p. 169.
Sobre comemorar sem querer, querendo.

image

Um cão percorre a rota por onde passou o papamóvel em Guanajuato, México, em março de 2012. O então Papa Bento XVI estava em visita ao país naquele dia. (Créditos: YURI CORTEZ / Getty Images)

* * *

Não é matéria que ensinam no colégio, mas consta no currículo das fugas de aula, das festas escondidas, do truco e das bebedeiras. Azar o meu de ter sido moleque de vidro - nada do que eu vivi me ensinou a comemorar. Sou do tipo chato que fica quieto diante das próprias conquistas, como alguém que comete um crime e não corre, como o menino que guarda o brinquedo e não abre. Gritam por mim quando ganho, abraçam-me emocionados quando me emociono. Não fico rouco, não tenho insônia, não rio alto e nunca gritei gol a todo pulmão, no meio do bar, colhendo amigos nos braços. Gostaria de ter o sangue menos ralo e frio, gostaria de poder me soltar, de não ser tão cinza, tão neutro. Mas não consigo. Olho como se desconsiderasse, sorrio fino como se permitisse, sofro por dentro como se berrasse, e não dou um pio. Mas não se engane, menina, não se engane! Eu estou vivo. Estou muito vivo. E sozinho no quarto, longe das vistas, por um segundo apenas, danço minha dança solitária, que é mistura de soluço e sorriso. A minha alegria é só um suspiro. De alívio. (do blog Ouvidos Mudos)

* * *

“É mais fácil enfiar sentimento “peito a dentro” do que “coração a fora”. Talvez medo de se sentir ridículo?” (do blog Eu conto música)

* * * 

”Sou mestre na arte de falar em silêncio. Toda a minha vida falei calando-me e vivi em mim mesmo tragédias inteiras sem pronunciar uma palavra.” (Dostoiévski, A Dócil)

image
07. 03. 14

Mais um Dia da Marmota! Ótimo filme, com uma mensagem interessante. (Para saber mais, leia este texto: Feitiço do Tempo)

02.02.14

Il Mondo - Jimmy Fontana

Música que compõe a trilha sonora do filme “Questão de Tempo”, e que fez uma cena em especial se tornar belíssima e memorável!